Varizes: Conheça quais são as causas e os tratamentos




As altas temperaturas favorecem o uso de saias, vestidos e outras peças deixando as pernas à mostra. É o momento que muitas mulheres se apavoram e correm contra o tempo para acabar com as varizes de imediato. Segundo a sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular, atualmente, cerca de metade das brasileiras convivem com o problema.

Em geral, ela se manifesta a partir dos 35 anos porém isso não é regra: as varizes podem se desenvolver ainda na adolescência, quando o corpo está em transição para a fase adulta. Acabar com as varizes pode ser uma tarefa difícil, mas exite muitos tratamentos para combatê-las. 

Varizes o que é?




As artérias são responsáveis por levar o sangue oxigenado do coração para todo o corpo e fazem isso com a ajuda da gravidade, com alta pressão. Já as veias cumprem função contrária, ou seja, elas trazem o sangue de volta, em baixa pressão. Para isso, são impulsionadas pela bomba muscular das panturrilhas, que possui um sistema de válvulas para garantir que o líquido flua numa única direção.

No momento em que uma dessas válvulas falha, o sangue se acumula e as paredes dos vasos se dilatam, levando ao aparecimento de ramificações aparentes nas pernas. Quando ocorre nas veias finas, o impacto é estético; mas, quando afeta as mais amplas, a circulação é ameaçada.

TIPOS DE VARIZES




“Vasinhos e varizes são representações da mesma enfermidade; o que os difere é a localização”, segundo especialistas. Os primeiros são veias finas, arroxeadas e dilatadas localizados nas camadas cutâneas mais superficiais. Já os segundos são vasos dilatados, de tom azulado ou esverdeado, encontrados nas camadas mais profundas da pele.

Nem sempre a disfunção fica aparente e só pode ser observada por meio de aparelhos específicos utilizados em consultório médico. Porém , sintomas com inchaço, coceira, queimação nas pernas, formigamento ou sensação de peso nas pernas estão presentes. Por isso toda a atenção a um desses sinais é necessária.

CAUSAS DA VARIZES

A condição de varizes é mais comum no sexo feminino devido às flutuações hormonais que fragilizam as paredes dos vasos. Segundo os médicos especializado em cirurgia vascular, há outros fatores desencadeadores do problema.

Sedentarismos e alimentação inadequada: pessoas que consomem muitos produtos gordurosos e industrializados e não fazem exercícios frequentemente acabam engordando e sobrecarregando as veias das pernas.

Gravidez: O crescimento do feto eleva a pressão nas veias. Neste casos, o quadro costuma melhorar entre 3 a 12 meses depois do parto.

Tabagismo: O cigarro sensibiliza a parede dos vasos, levando à dilatação dos membros. Sem contar que aumenta a coagulação sanguínea, aumentando o riso de trombose.

Anticoncepcional: Os elevados níveis de estrogênio alteram o funcionamento das válvulas do interior das veias, aumentando as chances do aparecimento do problema.

Idade avançada: Colabora para o enfraquecimento das válvulas.

O uso frequente e por longos períodos prejudica o bom bombeamento sanguíneo.

Histórico familiar: Cerca de 80% dos casos costumam ser hereditários, sendo que os primeiros sinais aparecem por volta dos 30 anos.

Recomendo que leia também outras dicas de saúde:

1-Como aliviar o estresse e ansiedade

2-Dicas para saúde das unhas




5 DICAS PARA ELIMINAR AS VARIZES:

É importante conversar com médico para um diagnóstico preciso e, assim, a escolha do melhor tratamento pra cada caso.

Vamos conhecer os métodos mais conhecidos para diminuir as varizes:

Pernas sem varizes

  • Escleroterapia tradicional:

Medicamentos são injetados em vasos pequenos e superficiais (de até 1,5 mm) para causar uma fibrose e a eliminação do problema.

  • Clacs:

“Une laser não invasivo e injeções de glicose. Após a utilização do laser, a glicose é aplicada na veia e permanece mais tempo em contato com o local afetado. No geral, até 3 sessões são suficientes para resolver o quadro, em intervalo mensal. A vantagem é não causar alegria e ter menor taxa de manchas”, segundo médicos especialistas.

  • Cirurgia convencional:

O método é o mais realizado no país e traz bons resultados. Ele é coberto pelos planos de saúde e pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

  • Microcirurgia:

Consiste na retirada de varizes por meio de incisões na pele, sem a necessidade de pontos e com recuperação rápida. Pode ser feita com anestesia local, dependendo do caso.

  • Endolaser ou radiofrequência:

Uma das pontas é posicionada na virilha e a outra extremidade é conectada a um aparelho de laser ou radiofrequência que vai liberar energia para queimar a veia. A fibra, então, é retirada enquanto a veia vai sendo cauterizada em todo o segmento a ser tratado ” explica os médicos.

  • Espuma densa:

Um produto é aplicado na veia a ser tratada. Conforme entra em contato com a parede do vaso, ele criará uma inflamação capaz de cicatrizar a veia, que se transformará num cordão fibroso e se desconectará da circulação. O procedimento é realizado com uma injeção e sem necessidade de internação. “Como a inflamação é intensa, existe risco de manchas e a cicatrização pode ser incômoda”, afirma a cirurgiã. O tratamento está disponível pelo SUS para casos em que as varizes representam problema de saúde e não apenas uma questão visual.

PRÁTICA FÍSICA FAZ MUITO BEM




Os exercícios são indicados para evitar o aparecimento do quadro, mas nem todos os estilos são recomendados.

Caminhar melhora a circulação e o retorno do sangue ao coração enquanto fortalece os músculos. O ideal é andar 30 minutos por dia, pelo menos, cinco dias na semana. O ciclismo e a natação também são boas opções, pois trabalham a musculatura e melhoram o fluxo sanguíneo.

Cuidado! corrida e exercícios de alto impacto agravam o inchaço das varizes. Levantamentos e agachamentos também elevam os riscos do aparecimento delas. Isso sem contar que o aumento da pressão abdominal durante as atividades aumentam a pressão nas veias dos membros inferiores e contribuem para piora da doença.

 VARIZES  TRATAMENTO CASEIRO




Medicamentos utilizados para varizes , os flebotômicos, são derivados de produtos naturais. Segundo os médicos, eles podem fazer parte do tratamento, mas têm caráter paliativo, ou seja, ajudam a amenizar os sintomas das varizes, mas não revertem o caso:

Hamamélis: Combinada com a castanha-da-índia e laranja-da-terra, ajuda a regular o calibre dos vasos, melhorando o aspecto  visual das varizes.

Laranja-da-terra verde: há mais de três milênios, chineses utilizam a fruta com a intenção de fortalecer o sistema digestivo e trazer mais saúde aos vasos sanguíneos.

Chlorella: Fornece nutrientes que participam na reconstrução e na nutrição das paredes na reconstrução e na nutrição das paredes dos vasos e veias, prevenindo sua deterioração precoce.

Centella asiática: Pesquisas comprovam que ela é capaz de aliviar edemas e estimular a circulação sanguínea.

Castanha-da-índia: Estudos científicos confirmam que o extrato traz alívio à dor e ao desconforto.

 

Veja também:

< Vídeo do Globoplay explicando a diferença entre vasinhos e varizes>




 

 

 

 

 

Leave a Reply